CLUBES
Voltar
Amadense
(Leão do Rio Real )
Fundação: 23/08/1981

A cidade sergipana de Tobias Barreto, distante pouco mais de cem quilômetros de Aracaju, é a casa de um dos times mais folclóricos do Brasil. O Amadense tem pouco tempo de vida, mas muita, muita história para contar. Fundado no dia 23 de agosto de 1981 por Milton Amado Costa, era inicialmente um time amador. Disputava torneios menores, tendo sempre o campo de futebol da fazenda da família Amado como local de treino e concentração.

Mesmo com todas as dificuldades, o Amadense conseguiu se tornar um time profissional. Foi crescendo devagarzinho e tentando, com os poucos recursos que tinha (advindos apenas da família Amado), chegar entre os primeiros. Demorou um pouco, mas no início da década de 2000 o clube conseguiu disputar a primeira divisão do Campeonato Sergipano. Terminou num honroso quarto lugar.

Daí até conquistar a vaga para a Copa do Brasil de 2015 foi um caminho muito longo, mas vitorioso. Seu primeiro título veio em 2014, com a vitória da Copa Governador do Estado. Foi essa competição que deu acesso ao torneio nacional. O clube cairia na primeira fase, eliminado pelo CRB de Alagoas, mas não se deixou abalar nem parou de fazer história.

Uma das histórias do clube que ficou bastante conhecida foi a da viagem do time ao México, em 2015. O objetivo da excursão era fazer jogos e negociar alguns atletas. Mas a viagem acabou para parte do grupo antes mesmo de começar, pois os bilhetes de passagem haviam sido pagos por um empresário que depois os cancelou. Os jogadores foram barrados no embarque.

Aqueles que conseguiram viajar ficaram aguardando o restante da delegação no México. E o grupo que ficou conseguiu embarcar graças ao apoio da população e de empresários de Tobias Barreto, que se juntou para comprar as passagens e pagar a hospedagem dos jogadores.

Outra história famosa entre os torcedores do Amadense envolve o nome do time. Há quem diga que o clube, inicialmente chamado de Amadinho, teria esse nome em homenagem à Jorge Amado. Mas a versão é desmentida pelos próprios dirigentes do time. O escritor tinha algum parentesco com a família fundadora do time, mas nunca ajudou e nunca foi fonte de inspiração para o nome do clube.

Antonio Brejeiro
Fonte: Site do Amadense (http://amadense.blogspot.com.br)

O estádio Antônio Brejeiro, mais conhecido como Brejeirão, é o local onde o Amadense manda seus jogos. Fundado no mesmo ano do clube, em 1981, o Brejeirão possui capacidade para seis mil torcedores. Seu nome é uma homenagem a um político bastante conhecido na cidade. Além do Amadense, o grande rival Sete de Junho também utiliza as dependências do Brejeirão.

A grande história do local aconteceu em 15 de agosto de 1990, e é lembrada até hoje pelos torcedores do Leão. No Campeonato Sergipano daquele ano, o time da casa enfrentaria o Sergipe no Brejeirão e, se perdesse a partida, estaria rebaixado. O primeiro tempo começou e o Sergipe fez 2 a 0, fazendo a apreensão tomar conta do estádio.

Na volta para o segundo tempo, dizem que Nossa Senhora Imperatriz dos Campos, padroeira da cidade e comemorada no mesmo dia da partida, entrou em campo junto com o Amadense. O time jogou muito, fez 3 a 2 no Sergipe e continuou a disputar a divisão principal do campeonato. Um dos momentos marcantes para o estádio, para o clube e para a cidade.





© 2018 PLAY ENTRETENIMENTO FUTEBOL CLUBE - Todos os direitos reservados.